17/02/08

Bucha & Estica




Nos idos de 1960’s, quando uma noite assisti, ainda criança, a uma sessão de cinema ao ar livre, nunca pensei que ela perdurasse durante tantos anos na minha memória. O filme que passou foi um do Bucha & Estica, e lembro-me perfeitamente de não ter parado de rir durante toda a sessão. Daí que quando precisei de um tema para a cena da descoberta do Cinema pel’O Menino Triste, não hesitei em utilizá-los. Laurel & Hardy, no original, proporcionaram-me grandes momentos de diversão, nesse e em muitos outros dias.

De tal forma foi divertido e prazeroso, que se tais emoções fossem de igual forma partilhadas por crianças das novas gerações, tornando-as também com isso mais felizes, seria uma grande satisfação para mim...

5 comentários:

Inês Ramos disse...

Ai que saudades!...
:-)

Luís Graça disse...

Interessante experiência sociológica: pôr a malta nova em frente da TV a ver o Bucha e Estica. Nem sei o que daria...

J.Mascarenhas disse...

Ó Luis:
Já agora que não fosse em frente da TV, mas sim em sala de cinema. Como sabes faz toda a diferença ;) ... e podia ser que assim a experiência sociológica fosse mais interessante (ou não).
Amplexos

Luís Graça disse...

Tens toda a razão.
Eu vi a "Quimera do Ouro" no Monumental, apinhado, em 1979, no lançamento de um "Spirou" que não durou um semestre, se não me engano.

Gustavo Carreira (requiem) disse...

Também foi um filme de "Bucha & Estica" a minha primeira experiência no cinema, por volta de 1980... e adorei.