19/11/08

À VOLTA DOS LIVROS



A jornalista da RTP/Antena 1, Ana Aranha, entrevistou João Mascarenhas a propósito do novo livro d’O Menino Triste, “A Essência”. A entrevista radiodifundida no programa À Volta Dos Livros, da Antena 1, é agora disponibilizada para os leitores do blogue d’O Menino Triste, graças à amabilidade da Direcção de Programas de Rádio da RTP.

As origens da personagem, o público, as motivações, e o novo livro são algumas das questões que Ana Aranha coloca ao autor d’O Menino Triste. A entrevista para ouvir aqui.

Créditos - Programa: À Volta dos Livros, RTP/Antena 1, Realização de Ana Aranha, 5’46’’, Lisboa, 2008

9 comentários:

Pan disse...

Ora muito bem e assim o Menino Triste já entrou No Ar!
Parabéns por mais esta aventura!
Francisco

qba disse...

5 minutos e 36 segundos da tristeza :-)

abrac,os

Paulo Marques disse...

Espectacular João!

São entrevistas como essa que ajudam a que a BD em Portugal seja cada vez mais vista como uma Arte pensada de uma forma inteligente! Excelente também na forma clara e objectiva como explicaste um pouco da essência do MT, do caminho que te levou à criação do personagem e do álbum. Concluindo, os meus parabéns pela bem conseguida entrevista e pelo bom serviço prestado à BD portuguesa, no sentido da obtenção de uma cada vez maior credibilidade!

Abraço!

Paulo Marques

csa disse...

Está boa a entrevista. Gostei mesmo muito!
É engraçado ouvir a voz de uma pessoa que conhecemos apenas por via escrita.
Achei curioso fazerem logo a associação com as Letras! Eu conheço muitas pessoas que são da área das Ciências e fazem coisas fantásticas em domínios astísticos em que imperam a palavra ou o desenho.

csa disse...

A propósito da referência à melancolia nesta entrevista fui ver os meus Menino Triste e verifiquei que, de facto, ela impera nas suas histórias.
Mas não é uma melancolia deprimente... é antes uma melancolia nascida da reflexão sobre a vida e da reinterpretação das vivências passadas.
Seja lá o que for (porque isso também depende dos olhos de cada leitor), é lindo e faz com que valha a pena acompanhar o percurso do Menino, nas suas histórias e no seu blog.

J.Mascarenhas disse...

Caros Pan, qba, Paulo Marques e Csa:
Como é bom ter-vos como leitores dO Menino Triste. Muito, muito obrigado pelas vossa palavras.

Csa, essa questão de nós não conhecermos a "parte sonora" de uma pessoa faz-me lembrar o que aconteceu quando se fizeram os primeiros filmes do Tintin: um rapaz escreveu ao Hergé e disse-lhe "que não gostava dos filmes, porque o Capitão Haddock não tinha a mesma voz que tinha nos livros!" Acho particularmente deliciosa esta situação, pois cada um de nós constrói na sua mente o que as parábolas da BD (não) nos mostram, inclusivamente os vários sons, entre os quais a voz das personagens.
Em relação à melancolia é isso mesmo: tirar dela o lado bom e belo da vida!

Obrigado a todos. Voltem sempre!

csa disse...

Essa da voz da personagem no filme não ser igual à da BD é o máximo!
Eu também vivo assim o que leio e, em miúda, sofria grandes desgostos quando ia ver ao cinema algo que conhecia de livros por razões dessa natureza. Hehe!

Luís Graça disse...

É impressão minha ou a entrevistadora ainda não tinha lido o livro na altura da entrevista?

J.Mascarenhas disse...

Olá Luis:
Já tinha lido o livro sim, e mais coisas ainda sobre o autor. Mas numa entrevista tens de colocar as questões que o público, que ainda não o conhece, colocaria. A entrevista está simples mas eficaz. Acho eu. Um excelente trabalho da Ana Aranha!